sábado, 5 de junho de 2010

FERA



Acreditando ser um animal livre,

vivo solta, feito rio rasgando o pampa.



De repente,algo me perturba o sono:

junto ao frio do descampado,

uma saudade vem,

cobrando de mim um tempo melhor.



Plantando fundo nesse coração tapera,

uma infinita e antanha vontade de amar.



Agora,

não há pregos que sustente as pernas

de minha resistência;



Tombada feito domada fera,

estou de quatro por você.



Rosy Moreira

Um comentário:

Alma Inquieta disse...

Olá Rosy!

Parabéns pelo blog e pelos versos...

Um beijo desde Portugal e bom final de semana.