sábado, 26 de junho de 2010

RABISCO

Sou um simples rabisco

tênue e leve,

no quadro negro dos desamparos.



Sou simples grãos de areia

que o vento move e une,

feito quebra-cabeças milagrosamente montado.



Ponteiro estendido que sobe e desce,

comandando o tempo uno ou múltiplo das horas,

testemunhando a gestação dos dias.



Sou as anotações da vida,

ora inteira,ora dilacerada,

traduzindo o idioma que o silêncio fala,

sem máscara de espanto.



Suaves letras verticalmente desenhadas,

agarradas à parede do horizonte,

igual ponto luminoso na escuridão da distância.



Marcadamente belas:



A

M

O

R

Rosy Moreira


Um comentário:

Alma Inquieta disse...

Olá Rosy!

Parabéns pelos versos..., são lindos!

Um beijo e bom domingo.