terça-feira, 18 de maio de 2010

GRITO





Quero ser sempre essa criatura

transparente e complexa,

que nenhuma mordaça há de calar.



Bandeira a meio pau,

apesar de todas as consequências,

a voz reclama seu tempo.



Sou poeta,

e o grito que não cala é o amor.
 
Rosy Moreira

2 comentários:

BOSCO ARTE&MANHAS disse...

O meu tempo aqui morre com o seu!
Por isso prefiro o seu tempo com o meu de fato...lá no mato...perto do sapo, olhando o sol...lá no paiol!

Carlos Rímolo disse...

Querida amiga Rosy !!!!
Lindo texto. Gostei. Parabéns!
Beijos de luz em seu coração!!!

POETA CIGANO - 23/05/2010

carlosrimolo.blogspot.com